Ele levou sobre Si ...








[...] Eles olham ao redor e dizem: "Comparado aos outros, sou uma pessoa decente". Note que um porco pode dizer algo similar. Ele pode comparar-se com seus companheiros e dizer: "Estou tão limpo quanto todos os outros". No entanto, quando comparados aos humanos o porco precisa de ajuda. Comparados a Deus, nós, humanos, temos a mesma necessidade. O padrão de santidade não pode encontrado entre os porcos cochos da terra, mas no trono celestial. O próprio Deus é o padrão.





[...] O ensaísta francês Michel de Montaigne disse: " Não há homem tão bom que, ao submeter todos os seus pensamentos e atitudes às leis, não mereça ser enforca dez vezes em sua vida." Nossas atitudes são feias. Nossas ações escabrosas. Não fazemos o que queremos, não gostamos do que fazemos, e o pior - sim, há algo pior -, não conseguimos mudar.











Tentamos... ah, como tentamos. Mas "Pode o etíope mudar sua pele ou o leopardo as suas manchas? Nesse caso também vós podereis fazer o bem, sendo ensinados a fazer o mal " (Jr 13.23). O apóstolo concordou com o profeta: "Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus - realmente não" (Rm 8.7).











Ainda concorda? Ainda acha minha avaliação muito dura? Em caso afirmativo, aceite este desafio. Durante as próximas vinte e quatro horas, viva uma vida sem pecado. Não estou pedindo uma década ou ano perfeito, nem mesmo um mês. Apenas um dia perfeito. Você consegue? Você consegue viver sem pecar durante um dia?







Não? E uma hora? Você poderia prometer que nos próximos sessenta minutos terá apenas pensamentos e atitudes santas?









Ainda hesitante? E quanto aos próximos cinco minutos? Cinco minutos sem preocupações, raiva e vida sem egoísmo - você consegue?







Não? Nem eu.







Então temos um problema. Somos pecadores, e "o salário do pecado é a morte" (Rm 6.23).







Temos um problema: Não somos santos, e a Bíblia nos adverte a "Segui[r] a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor" (Hb 12.14)









Temos um problema: Somos maus e "a obra do justo conduz à vida, as produções do ímpio, ao pecado" (Pv 10.16).







O que podemos fazer?







Permita que o cuspe dos soldados simbolizem a sujeira em seus corações. Então observem o que Jesus faz com essa sujeira. Ele carregou até a cruz.







Através do profeta Ele disse, "não escondo a face dos que me afrontam e me cospem" (is 50.6). Misturando a seu sangue e suor estava a essência de nosso pecado.







Deus poderia ter julgado de outra forma. No plano de Deus, se foi oferecido vinagre para sua garganta, porque não uma toalha para seu rosto? Simão carregou a cruz para Jesus, mas não limpou o seu suor. Os anjos estavam presentes. Eles não poderiam ter desviado o cuspe?







Sim, mas Jesus nunca ordenou que eles fizessem. Por algum motivo, aquEle que escolheu os cravos também escolheu a saliva. Junto com a lança e a esponja. Ele suportou a cuspidela do homem. Por quê?

[...]







Jesus muda de lugar conosco. Nós, assim como Adão, estávamos sob a maldição, mas "Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós" (Gl 3.13).





[...]





AquEle que é sem pecado tomou forma de pecador para que nós, pecadores, púdessemos nos tornar santos.













Ele Escolheu Os Cravos - Max Lucado





Por Lorrane Firmino

2 000000 de Pessoas Comentaram:

igor disse...

Fato!! ³³³

Muito bom o texto, Cunhada(Lore) :D

Beijos :***

Náah disse...

MAgnifico texto !

Postar um comentário

Não poupe seu teclado, comente e seja feliz :D